Quando, em 2019, escolhemos “O Outro” como tema do Folio para 2020 estávamos longe de saber que a primeira pandemia global suspenderia o Festival até 2021 e nos transformaria a todos, ainda mais, n’O Outro. A realidade veio uma vez mais tornar tudo mais claro. Sem O Outro não somos nada, porém, desconfiamos do Outro. É este paradoxo que queremos discutir.
Falaremos da violência interior que o corpo nos pode infligir quando durante o crescimento, a doença e o envelhecimento se revela num Outro. Queremos falar dos Outros que não são uma realidade nova, circunstancial, mas uma infeliz circunstância humana: os refugiados e os migrantes, os que fazem o impossível para escapar ao agora. Queremos falar do Outro na diversidade dos tons de pele, do género, da origem, da pertença, das línguas – na diversidade da própria língua portuguesa. Sem esquecer a liberdade de expressão, o racismo, a violência e a família.
E porque o Folio é um festival literário que discute ideias e política, gerador de desconforto e estimulante do pensamento, convidámos romancistas, poetas, contistas, ensaístas e historiadores com diferentes perspectivas e opiniões.
Depois do “Medo e o Tempo” escolhido para 2019 e “O Outro”, em 2021, esperamos em 2022 iniciar a procura da redenção pelo “Amor”.

Ana Sousa Dias
Pedro Sousa
Curadoria FOLIO Autores