NBC

NBC é o nome artístico de Timóteo Santos, nascido a 17 de outubro de 1974, de origem santomense. O nome NBC foi inspirado no rei bíblico Nabucodonosor e é também sigla para Natural Black Color. É um músico português, rapper, ligado ao hip-pop, mas que experimentou sempre alagar este universo musical, indo para outros territórios. Desde muito cedo que NBC chamou a atenção pelo modo como levava as suas rimas e batidas para territórios musicais mais próximos da funk e soul, não se limitando também a debitar meras palavras de contestação: “A minha realidade é outra, não posso cantar sobre o que não conheço”, afirmou já o músico.
Em 1994 foi o arranque da sua carreira musical, no concurso Oeiras Rap 94, integrado no grupo Filhos D’1 Deus Menor.
Ao longos dos anos foi colaborando com vários músicos como Sam The Kid, Expensive Soul, Xeg, Regula, e também em projetos musicais como GNR Revistados, Bem-Vindo ao Passado ou Fados de Carlos Saura.
O primeiro álbum de NBC chama-se Maturidade e foi lançado em 2008. Em 2013 foi a vez de lançar Epidemia e em 2016 chegou a vez do álbum Toda A Gente Pode Ser Tudo. Este último trabalho teve como single de estreia o tema Acorda. O segundo single do último álbum de NBC, intitulado Dois, fez parte da banda sonora da telenovela Amor Maior. 
Recentemente NBC despiu-se e mostrou-se como nunca o tínhamos visto.
EPiderme é o título da estória que Timóteo de Deus Tiny nos escreveu com papel e caneta. Dentro de quatro paredes, quando ainda vivíamos o primeiro confinamento, o artista imaginou aquele que seria, provavelmente, o seu trabalho mais despido, com sentimentos muito concretos, de linguagem extremamente simples. Os temas à flor da pele, como faz sentido, ganham corpo pela transparência e pela fragilidade do que canta. Quis aproximar-se mais das pessoas, numa altura em que parecemos todos distantes. E foi assim mesmo que construiu o alinhamento. Sozinho, criou, produziu e tocou todos os instrumentos, de forma inédita, porque afinal “toda a gente pode ser tudo”. E a ordem das canções espelha isso também: desde a canção quase rascunho à canção mais elaborada, pronta para ser ouvida em qualquer sistema de som. Deixou os samples e as rimas na prateleira e aventurou-se num blues que nos vai tocar no coração, profundamente. Durante o ano de 2020, NBC projectou este EP sem imaginar que por esta altura estaríamos novamente com a vida em pausa. Mas parece propositado. O EP quer mesmo mostrar esta ideia de solidão e de supressão, e de como a nossa mente pode viajar, mesmo que nunca mudemos do mesmo lugar. Este é também o segundo EP do músico, já que em 2013 havia lançado EPidemia. O paralelismo não é inocente, nem mesmo o lettering. Visionário novamente, as canções de outrora ganham agora corpo num disco muito mais introspectivo e menos reivindicativo.