Diabo a Sete

Diabo a Sete é uma banda folk portuguesa criada em Coimbra, no ano de 2003. A sua discografia inclui os álbuns Parainfernália (2007), TarAra (2011) e Figura de Gente (2016). TarAra foi “disco Antena 1” e contou com a participação de Carlos Guerreiro, dos Gaiteiros de Lisboa, em dois temas. Foi considerado pelo crítico musical António Pires como um dos melhores álbuns portugueses de 2011.
O grupo é composto por Celso Bento (flautas e gaita de foles), Eduardo Murta (baixo), Luísa Correia (guitarra acústica), Miguel Cardina (bateria) Pedro Damasceno (cavaquinho, bandolim, concertina e flautas) e Sara Vidal (voz e harpa).
Em 2006 venceram o concurso nacional Eurofolk, o que lhes permitiu participar na fase final da prova em Málaga. Têm participado em vários festivais internacionais e nacionais na área da world music. Entre estes, destacam-se o Festival Músicas do Mundo (Sines), Festival MED (Loulé), Intercéltico de Sendim, Andanças (S. Pedro do Sul) ou o Festival Bons Sons (Cem Soldos), entre outros.
Os Diabo a Sete têm vindo a apurar um estilo musical próprio, que pega em ritmos e sonoridades tradicionais para lhes conferir uma roupagem moderna.
“No dia 23 Outubro, o Palco Inatel encerra com Diabo a Sete uma Banda folk-rock portuguesa que cruza ritmos, melodias e sonoridades contemporâneas, num espetáculo dinâmico e que contem a energia da festa popular.” Francisco Caneira Madelino, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Inatel