anais

Estou tão constipado.

Rute Sousa Blog

Hoje sou uma figura sem estilo!

Atchim!

Gostava de encontrar uma vocação literária para esta gripe mas não consigo. Não há metonímia possível entre a torreira do sol e as cócegas do vento norte, Passar de 33 graus ao sol (huuuu! 33!) para 15 à sombra de uma grossa parede caiada de 5 em 5 minutos é coisa de monta. Coisa tonta. Coisa que mata. Ai a minha cabeça!!

Andei o dia inteiro a espirrar para cima de escritores. O mais certo é nunca mais me venderem um livro bom. Se fosse comigo era só sonetos do Dantas. Para que eu aprendesse a trancar as mucosas em dias assim. Desculpa Anaïs, se levas a minha gripa para o Quebeque.

Sniff!

A melhor coisa do dia foi uma conversa em francês com a Anaïs. Barbeau-Lavalette. Que som o do nome dela! Foi a conversa mais romântica que tive em todo o ano. Gosto de pensar que o meu francês nasalado me faz  presque Cyrano. Nessa conversa de meia hora fiquei quase bom.

Mas logo volta. E espirro e fungo e tusso como um abandonado. Tenho os olhos pequeninos como um japonês e nem óculos escuros me salvam. Estou apanhado.

Cof! Cof!

E esta tosse que não me larga. Até parece que durmo no São Carlos! Eu devia ter tomado a vacina como todos os anos o meu sócio me recomenda, mas nunca gosto de concordar com ele…

Som de nariz a assoar-se – invento uma onomatopeia para isto

“Jlhlhlhufff” – têm melhor?

Ao fim noite só há duas coisas que fazem mesmo falta: bateria no telemóvel e paciência nas pessoas. De resto tenho tudo, até sono.

Boa noite. Dorme bem. Vou ver se o sono me cura.